O processo de vistoria de imóveis dentro de uma imobiliária, é um passo importante para evitar problemas na hora da finalização de um contrato.

As vistorias possuem um papel fundamental em qualquer tipo de aluguel, pois através dela é possível apontar as principais características e condições do imóvel no momento de entrada e de saída do locatário.

Esse processo minimiza/elimina drasticamente os debates sobre a responsabilidade de reparos ao final da locação. Desta forma, é possível facilitar a vida da imobiliária responsável pela gestão do imóvel, bem como, gerar tranquilidade aos clientes.

Vistoria de entrada na locação

A vistoria de entrada para ser eficiente, precisa apontar a situação do imóvel quando este está prestes a ser ocupado por um novo locatário. Constatará as condições no que se refere ao uso, desgaste e manutenção do imóvel.

É extremamente importante que a vistoria seja feita com cuidado e de forma detalhada, observando todos os itens do imóvel, tais como paredes, piso, teto, portas, janelas e mobílias. O nível de detalhamento textual deve servir para que qualquer pessoa fora dessa relação possa compreender a situação do imóvel na sua ocupação.

Um reforço para informação em texto é a inclusão de fotos que ilustrem os cômodos e itens apontados no relatório de vistoria. Fotos complementam muito bem a parte textual. A importância da riqueza de detalhes é evidente, pois na desocupação do imóvel é com este relatório que será comparado o estado de conservação.

Vistoria de saída na locação

A vistoria de saída faz parte do processo de desocupação do imóvel alugado. Quando o inquilino sai, é previsto em contrato que deixe o imóvel da mesma maneira que estava quando o ocupou. Essa vistoria vai relatar tudo o que está em divergência, diferente, da condição original.

Independente se quem realiza a vistoria compreende aquilo como algo bom ou ruim para a valorização do imóvel. O relato do vistoriador na saída deve apontar as divergências e como elas serão resolvidas entre as partes, é atribuição da gestão da imobiliária equacionar.

Exemplo de divergência no relatório de saída: O vistoriador constata e relata que o inquilino instalou um ar condicionado na sala. Você pode julgar que isso é ótimo, valoriza o imóvel. Mas, pode acreditar que existe proprietário que mandaria retirar o equipamento, principalmente se este foi instalado sem consentimento.

Desconsideremos dos apontamentos do vistoriador no relatório de saída, apenas os itens que sofrem desgastes naturais. Independentemente de quem ocupava o imóvel, proprietário ou inquilino, o desgaste daqueles itens ocorreria.

Se a espuma do sofá está um pouco gasta, ao final de uma locação de cinco anos, por exemplo, é um desgaste natural. Não será reportado no relatório e não será exigido do inquilino que compre um sofá novo.

A importância da vistoria imobiliária profissional e imparcial

Já trouxemos aqui exemplos da importância da vistoria em imóveis. Como será possível atestar que na saída o inquilino deixou tudo certo, do jeito que deveria se não temos um relatório de vistoria de entrada apresentando a condição de início do aluguel?

É recomendável que o locatário esteja presente durante essa vistoria de saída. Desta forma poderá acompanhar os registros do vistoriador e, em seguida, contestar os apontamentos com os quais não concorda. Destacamos novamente que imobiliária, como administradora do imóvel, deverá gerir os acordos.

Por fim, deixamos o convite para que sua imobiliária reveja com que nível de detalhamento está sendo feita sua vistoria de imóvel.

Com mudanças incrementais nesse processo, é possível sempre melhorar, trazendo menos dor de cabeça para os envolvidos e menores custos para a empresa.

Quanto custa o processo de vistoria para sua imobiliária?

O serviço de vistoria em imóveis não é uma fonte de receita para as imobiliárias, apesar de ser uma parte importante do processo de locação.

Este tipo de despesa muitas vezes passa despercebido, pois está em meio à conclusão de uma negociação. Porém como qualquer outra despesa não pode ser desprezada. 

Para imobiliárias que não possuem vistoriadores dedicados, onde a vistoria é feita pelo corretor de imóveis – por exemplo – fica difícil mensurar o custo das vistorias. Isso se deve pela falsa percepção de que ter alguém na empresa que faz as vendas e no “tempo livre” as vistorias, o custo se torna menor.

Um exemplo prático para calcular quanto você tem gasto com este serviço é:  suponhamos que o um corretor de imóveis demore quatro horas para fazer uma vistoria, mais quatro horas para finalizar toda a edição do relatório. O processo resulta em oito horas, neste período o corretor pode facilmente captar dois novos imóveis para a carteira.

Se sua imobiliária tem hoje 100 imóveis e faz 5 vistorias por mês, o corretor deixou de captar 10 imóveis novos.

É fácil perceber como custa caro o processo de vistoria nessa imobiliária. Ela deixou de aumentar sua carteira de imóveis, seu potencial de receitas, em 10% apenas nesse mês, por exemplo.

Portanto, se torna fundamental para o sucesso da sua imobiliária, refletir sobre o uso de ferramentas de vistorias imparciais e profissionais para alavancar seus negócios.

Deixando assim, que seus corretores foquem no que realmente importa: captar novos clientes e imóveis.

[Total: 0   Average: 0/5]