Cuidando das finanças: medidas para facilitar o dia a dia do corretor


Tempo de Leitura: 6 minutos

Quem trabalha na área imobiliária não terá um salário fixo. O/A corretor(a) de imóveis ou gerente de imobiliária dependerá sempre das vendas ou aluguel e da comissão que cada um destes negócios traz. Por isso é importante ter um controle essencial das finanças.

Por possuir um salário variável, é preciso cuidar para que as coisas “não saiam do controle”, para que sobre aquele dinheirinho no final do ano ou simplesmente para fazer um pé de meia para o futuro.

Pensando nisso, neste post vamos trazer algumas dicas de como cuidar melhor das suas finanças.

Tenha consciência das suas fontes de renda

O primeiro passo para administrar bem as contas é saber com clareza com qual fonte de renda você poderá contar. É dessa maneira que você inicia sua organização financeira.

Como corretor, é difícil ter certeza absoluta de quanto dinheiro vai entrar mensalmente, mas é possível se ter uma ideia. Analise seu ritmo de vendas nos meses anteriores, veja no CRM que você usa quais oportunidades estão mais próximas de serem fechadas, etc.

Por mais que esta seja uma atividade de dedução mais do que um conjunto de dados certeiros, é um bom começo para você se planejar.

Controle também suas despesas

Se o salário não é fixo uma coisa certamente é: suas despesas. Leve em consideração tudo aquilo que você gasta fixamente todo mês e faça uma lista.

Nesse tópico se encaixam o aluguel, o condomínio e a internet, por exemplo. Com os gastos fixos bem definidos, você já tem uma ideia do mínimo de dinheiro que terá que fazer no mês.

Estabeleça um orçamento mensal e um anual

As contas de água e luz, assim como os gastos com supermercado não são exatamente fixos, mas podem ser considerados – até certo ponto.

É possível criar orçamentos para estas contas baseados nos seus gastos anteriores, transformando-os em gastos fixos todo mês.

Digamos, por exemplo, que você orce a sua conta de luz em 50 reais para todo mês. Separe este dinheiro no início do mês e gaste-o apenas para a conta de luz. No caso de eventualmente algum dinheiro sobrar, você deve guardá-lo para fechar os 50 reais do mês seguinte.

Como sua renda pode variar de acordo com o mês ou com o semestre, estabeleça um orçamento mensal que vai abranger a maioria de suas contas, as que têm essa frequência de pagamento e outro anual para ter uma visão a longo prazo do seu orçamento.

Assim que você consegue enxergar períodos em que vai precisar fazer reservas ou épocas em que vai identificar um maior rendimento, por exemplo.

Explore a ideia dos orçamentos

Você pode estabelecer orçamentos também para as atividades que não são fixas. Determinar quanto você vai gastar com passeios por exemplo.

Por mais que isso seja uma tarefa complicada, você verá como seus gastos diminuirão. Tudo o que você vai precisar é de autocontrole. Mas também não precisa exagerar

Tenha uma meta de economia

Ter uma meta de economia vai facilitar o processo de orçamento que falamos anteriormente. Se você estabelecer um valor que quer guardar mensalmente, não precisa ficar tão preso aos orçamentos.

Veja bem: ainda é vantajoso estabelecê-los. O que acontece, porém, é que se torna possível aumentar os orçamentos de acordo com quanto você quer economizar.

Utilize a regra do 50-15-35

Recomendada por alguns analistas financeiros; a regra 50-15-35 para dividir as despesas é recomendada como estratégia para você organizar suas finanças.

O que ela diz é que 15% da sua renda deve ser destinada a algum investimento financeiro ou o pagamento de um financiamento eventualmente assumido. 50% da renda deve ser destinada aos gastos fixos e os 35% que restam devem ser utilizados para gastos variáveis e voluntários.

É possível associar esta dica com a dica dos orçamentos, e encaixar os orçamentos nestas porcentagens.

Utilize um aplicativo de controle de finanças

Existem algumas opções de aplicativos que você pode utilizar para ajudar a controlar suas finanças.

Algumas opções são o Organizze, o Guia Bolso e o Minhas Economias.

Os três aplicativos são ideias para você acompanhar seus ganhos e gastos. Com ele você verifica se o seu planejamento está dando resultado, se precisa mudar algum orçamento,etc.

É importante lembrar, porém, que o aplicativo apenas te ajuda a enxergar a sua situação financeira. O que diz respeito ao planejamento e execução das suas economias vai partir de você mesmo.

Separe os gastos pessoais dos profisisonais

Se você é o/a gerente de uma imobiliária ou trabalha de forma autônoma, você precisa se certificar que o que é seu dinheiro pessoal está separado do que é o dinheiro do seu negócio.

Isso porque se você define quanto do dinheiro é seu e quanto é do negócio, fica mais fácil separar o dinheiro em orçamentos ou usa ra regra do 50=13-35. Separar esse dinheiro vai fazer com que a sua organização pessoal melhore muito.

Mais que isso, separar essas situações financeiras também vai melhor as finanças do seu negócio de forma geral. Na verdade, saber respeitar o que é o dinheiro do seu negócio é essencial para que seu negócio se desenvolva.

Apenas com esta separação você saberá escolher que investimentos fará em seu negócio, por exemplo.

Organizar suas finanças para viver confortável

A inconstância com que o dinheiro vai entrar na sua conta, como profissional do mercado imobiliário, pode ser assustadora. Contudo, se você se organizar e planejar corretamente os seus gastos as coisas podem ficar mais fáceis.

Também é possível, com o tempo, que você consiga estabilizar (pelo menos um pouco) os seus ganhos. Ou, se não estabilizar, que você consiga prevê-lo com cada vez mais precisão.

Possuir um bom planejamento é, na verdade, essencial em qualquer área do seu negócio imobiliário. Com planejamento e dedicação você consegue fazer com que sue negócio cresça cada vez mais. Se seu negócio crescer, você ganhará mais dinheiro – e com mais dinheiro, fica mais prazeroso cuidar de suas finanças.


Relacionados