Topo
bolha imobiliária

Tudo o que você precisa saber sobre a bolha imobiliária

O mercado imobiliário sempre foi algo instável e que mereceu atenção constante por parte dos seus usuários. A bolha imobiliária chega, destrói boa parte dos seus investimentos e deixa tudo aos pedaços, sem nem dar tempo de você notar.

Calma, não queremos lhe deixar assustado: é por isso trouxemos alguns detalhes sobre a bolha imobiliária e um pouco da história de a mesma arrasou com as economias dos Estados Unidos em 2008.

O medo de que esse problema atinja o nosso país e atrapalhe os investimentos imobiliários existe, mas é intensamente difundido dentro das valorizações dos imóveis e fluente comercialização entre os próprios consumidores.

Segundo dados do índice Fipezap, entre os anos de 2012 e 2018, ocorreu um aumento de 30% nos valores das vendas de imóveis. É natural observarmos com um pé atrás essas variações intensas, bem como é natural desconfiarmos de que essa porcentagem pode tornar-se negativa a qualquer momento. A cautela nunca é demais.

Você, corretor de imóveis, deve ficar ciente de como o mercado imobiliário funciona e perceber os mínimos indícios de alguma mudança na sua sistemática. Conhecimento nunca é demais: aprender sobre a bolha imobiliária que afetou a economia americana em 2008, poderá servir como auxílio para identificar problemas semelhantes o nosso país.

O que é a bolha imobiliária?

É importante, antes de tudo, estarmos por dentro do conceito de bolha imobiliária e também do contexto em que ela funciona.

A bolha imobiliária, como todas as outras bolhas, aborda uma supervalorização financeira de um produto, neste caso um imóvel, que não faz jus ao seu preço.

Digamos que  valores dos imóveis de uma cidade aumentam drasticamente em um curto período de tempo, que os preços estão inflando como um balão de ar. Em um determinado momento, dada essa falsa supervalorização, os preços irão cair e causar um gigante estrago para os investidores.

Algumas importantes caracteristicas da bolha imobiliária são:

  • As incertas mudanças nos valores dos imóveis causando a desestabilidade dos negócios.  
  • É um aumento dos preços sem mudança nos resultados.
  • Hipotecas com juros extremamente altos para pessoas com dificuldade para realizar o pagamento.
  • A explosão ou queda brusca nos valores não é necessária para caracterizar uma bolha imobiliária.
  • País com inflação ou muitas mudança na economia.

A bolha imobiliária de 2008 nos Estados Unidos

Nem parece, mas já fazem 10 anos que os americanos estavam desesperados para investir em imóveis e entrar em dívidas gigantescas através das políticas das hipotecas podres.

Como isso ocorreu? Bom, os bancos entraram em uma zona de perigo extrema ao decidir apostar em pessoas cujos empregos eram de situação duvidosa e abusiva. A necessidade de realizar a compra de imóveis, estes que valorizavam-se cada vez mais rápidos, da maneira que fosse possível colocou milhares de americanos em dívidas.

Bancos como Federal Reserve e o Banco Central Europeu, jogaram todas as suas fichas nas vendas desses imóveis. Com a diminuição das taxas de juros e a liberação de hipotecas para pessoas sem salário compatível, afundou o mercado imobiliário e financeiro em dívidas.

Chegou um determinado momento, em que as pessoas estavam tão endividadas com as hipotecas podres que não conseguiam comprar imóveis por um preço baixíssimo. O país não conhecia uma crise desse nível desde o período das guerras mundiais.

A situação brasileira: existe perigo de uma bolha imobiliária no brasil?

Esse é um dos medos de todo corretor de imóveis ou dono de imobiliária: entrar em uma zona que impossibilitaria o fluxo das vendas ou causaria o rompimento dos valores dos imóveis.

Alguns investidores estudavam a possibilidade de acontecer uma bolha imobiliária no nosso país, e um dos fatores que contribuíram para a manutenção das teorias foi o aumento exorbitante dos valores dos imóveis nos últimos anos.

Temos uma resposta para você: não, pelo menos no momento atual, não há possibilidade aparente de ocorrer uma bolha imobiliária. Podemos lhe mostrar isso através de algumas informações.

A primeira delas é que o valor dos imóveis dispararam pois a inflação durante este período também teve um crescimento fora do padrão. Nas grandes cidades e metrópoles do país, os valores dos imóveis continuaram acompanhando o equilíbrio financeiro em relação à economia.

Outra informação importante é que, em 2008, quando a bolha imobiliária estourou nos Estados Unidos, o mercado imobiliário correspondia a quase 90% da economia do país, enquanto atualmente no Brasil, esse número chega próximo aos 6%.

O mercado imobiliário no Brasil tem muito para crescer, nosso país está em constante avanço e a casa própria ainda mora no imaginário da população.

Mesmo que haja uma mínima possibilidade de ocorrer uma crise imobiliária, visto que é importante estarmos preparados para todo imprevisto, podemos ficar mais tranquilos, bem mais tranquilos.

[Total: 0    Média: 0/5]