DRE: o que é, para que serve e como fazer a demonstração de resultado de exercício da sua imobiliária?


Tempo de Leitura: 5 minutos
DRE. Essa sigla parece ser muito assustadora, mas afinal, você sabe o que ela quer dizer? Conhece a estrutura de uma DRE e qual a sua função para um negócio imobiliário? Fique ligado neste artigo, porque iremos lhe contar mais sobre esse documento de contabilidade. As empresas do ramo imobiliário, como em todos as outras áreas, precisam ter um controle sobre o andamento e desempenho financeiro. Respostas sobre a efetividade do negócio, além de motivarem a equipe, também podem auxiliar no setor de gestão. Elas fazem com as tomadas de decisões sejam baseadas em informações especificas sobre os resultados da sua empresa. Existem outros dois tipos de documentos contábeis que são importantes para analisar o comportamento da sua empresa dentro do mercado: a Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC) e o balanço patrimonial. Hoje iremos conversar sobre a Demonstração do Resultado de Exercício (DRE), qual a função e os benefícios para sua imobiliária, além de como é a sua estrutura.

O que é uma DRE?

Você, corretor de imóveis ou dono de imobiliária, já deve ter se deparado com esta sigla ao longo dos anos de profissão. DRE, Demonstração do Resultado de Exercício, nada mais é do que uma ferramenta da contabilidade utilizada para organizar os gastos da sua empresa e detalhar o resultado líquido, as receitas, e os lucros e prejuízos do seu negócio. Através deste elemento, é possível realizar o mapeamento de todos aqueles valores aplicados e recebidos durante um período de tempo, este, na maioria das vezes, sendo de um ano. Com o DRE, você poderá conferir quais foram as despesas, os ganhos, os pagamentos e os recebimentos realizados pela sua empresa durante o exercício da função.

Qual a Função da DRE?

A sua imobiliária ainda é um investimento lucrativo? Bom, é através dos números obtidos pela DRE, que você irá verificar se o seu negócio está sendo uma boa pedida. Essa ferramenta também pode ser útil para que você saiba qual o próximo passo a ser dado: uma redução de pessoal, uma reforma na estrutura, melhorias, quem sabe? Comparando os números da DRE será possível ter uma visão mais realista de como sua empresa está se saindo dentro do mercado imobiliário. Digamos que a sua empresa seja um paciente em um consultório médico, para que algum remédio possa ser receitado e para que a melhora dos problemas aconteça, é preciso primeiro ter uma noção das causas dessa instabilidade. A Demonstração do Resultado de Exercício irá trazer visibilidade para os sintomas da sua empresa, fazendo com que as melhores decisões possam ser tomadas. 

Como fazer uma DRE?

Existem uma série de padrões a serem seguidos ao montarmos a DRE, não há aberturas para que você, gestor, possa personalizar a estrutura de dados. Esta estrutura, por sua vez, está delimitada por vários cálculos estipulados por uma sequência, que inicia-se pelo valor da renda bruta da sua imobiliária. A partir desse momento você deduz, da renda bruta, as vendas, os abatimentos e os impostos. Seguindo para a renda líquida, e a dedução dos imóveis comercializados e dos serviços prestados, chegando ao valor total de lucro bruto. Do lucro bruto, são subtraídas as despesas operacionais, comerciais, financeiras e gerais da sua imobiliária, chegando realmente ao lucro - ou prejuízo - final. O padrão de estrutura da DRE é fixado pela Lei das Sociedades por Ações (Lei nº 6.404/1976), no artigo 187.

Confira os seguintes tópicos, em ordem:  

  1. A receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos;
  2. A receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos, e o lucro bruto;
  3. As despesas com as vendas, as despesas financeiras, deduzidas das receitas, as despesas gerais e administrativas, e outras despesas operacionais;
  4. O lucro ou prejuízo operacional, as outras receitas e as outras despesas;
  5. O resultado do exercício antes do Imposto sobre a Renda e a provisão para o imposto;
  6. As participações de debêntures, empregados, administradores e partes beneficiárias, mesmo na forma de instrumentos financeiros, e de instituições ou fundos de assistência ou previdência de empregados, que não se caracterizem como despesa;
  7. O lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social.
Deve estar bem claro que esta ferramenta pode lhe trazer os dados de uma forma visualmente atrativa e com maior facilidade de ser identificada. Um bom gestor deve prezar pela transparência de informações e dados obtidos durante as vendas da imobiliária.

Relacionados