Topo
fotografia imobiliária

Fotografia imobiliária: o que faz uma boa foto?

Com o público procurando a internet como principal meio para encontrar imóveis, corretores de imóveis e imobiliárias disputam espaço online. Por isso, é preciso se destacar em meio à concorrência, atraindo pessoas para seu site. A fotografia imobiliária é um poderoso instrumento para conseguir este destaque.

Uma fotografia bem tirada pode ser o fator decisivo para que um futuro cliente decida visitar um imóvel, por exemplo. Existem alguns fatores técnicos que certamente trarão um aspecto mais profissional para as suas fotografias.

Além disso, há também ferramentas e equipamentos que contribuirão com a profissionalização das suas fotografias..

Neste post vamos trazer dicas sobre como desenvolver sua fotografia, ou entender que fatores tornam uma foto “boa”.

Porque entender de fotografia imobiliária?

Caso você trabalhe de forma autônoma, contratar um fotógrafo estará, muito provavelmente, fora de questão. Por isso, entender como tirar fotos de qualidade vai ser um grande diferencial.

Por outro lado, caso você possua uma imobiliária, obter os serviços de um fotógrafo profissional é possível e até, de certa forma, financeiramente vantajoso. Contudo, você pode investir em formar uma equipe de corretores, agenciadores e/ou vistoriadores, dependendo da dinâmica da sua imobiliária, que possua um bom conhecimento de fotografia.

Com os corretores e agenciadores, isso vai agilizar o processo de venda ou aluguel de um imóvel. Se o profissional que obtém os imóveis possui conhecimento sobre fotografia, ele conseguirá colocá-los nas plataformas (seu site, nos portais, etc.), mais rapidamente.

Já com relação aos vistoriadores, quanto melhor for a técnica de fotografia deles, menos problemas serão enfrentados nas trocas de locatário.

Por outro lado, se você não possuir uma imobiliária, mas trabalhar em uma, ainda assim pode desenvolver suas habilidades fotográficas como uma forma de se destacar. A competição saudável é um fator essencial dentro de uma imobiliária, e você só ganhará ao aprender mais sobre fotografia.

O papel do planejamento na fotografia imobiliária

A primeira coisa a se ter em mente com relação à qualquer tipo de fotografia é a pré-produção. Na fotografia imobiliária não é diferente.

Se em fotos de modelos a pré-produção envolve a preparação do/da modelo e do cenário, na fotografia imobiliária o “cenário” é o personagem principal.

Por isso, é preciso levar em conta alguns passos para preparar um imóvel que será fotografado:

1. Planejamento

A primeira coisa a se fazer é planejar. O planejamento é essencial em qualquer atividade profissional e a fotografia só tem a ganhar com um planejamento bem feito.

Defina em que ordem os cômodos serão fotografados. Investigue como a luz do sol atinge o imóvel no horário em que você irá fotografá-lo. Defina quais cômodos precisam de mais ou menos organização ou até de reformas.

O mais importante é saber o que você terá que fotografar e não deixar nada passar. Fazer um check-list pode te ajudar nisso.

No caso de uma vistoria, é possível fazer esse check-list através de um aplicativo próprio. Dependendo do aplicativo, você poderá até armazenar as fotos diretamente nele.

Aplicativo vistoria Jetimob

2. Organização

Um dos aspectos mais importantes na hora de tornar um ambiente atrativo é a organização que você consegue dar a ele. É importante que o(a) corretor(a) de imóveis saiba olhar o imóvel de maneira estratégica. Organize os ambientes de maneira que você considere que eles estão atrativos.

Roupas no varal, louça na pia ou objetos pessoais dos donos da casa podem fazer seu cliente considerar que aquele local já tem dono e não ser convidativo para ele. Sem contar que a organização pode “aumentar ou diminuir” o tamanho dos cômodos em uma foto.

Nem sempre é possível tirar objetos ou modificar a disposição de móveis, por exemplo. Nesses casos, veja até onde é possível organizar ou pense em ângulos e enquadramentos que não desvalorizem o imóvel.

É importante lembrar que organizar não é esconder. Se o imóvel possui falhas estruturais, você tem muito a ganhar, no que diz respeito à confiança do cliente, ao mostrar a verdade. Para evitar uma opinião completamente negativa é possível apresentar vantagens que sirvam como contrapeso às falhas, como descontos, por exemplo.

3. Luz

A iluminação pode tornar um cômodo muito mais atrativo e até dar sensação de amplitude. Prefira deixar os ambientes claros para dar amplitude aos cômodos. Dias claros e ensolarados são mais favoráveis. Dessa maneira suas fotografias vão precisar de menos retoques e correções.

Quando um cômodo for muito escuro, tome cuidado para acrescentar a iluminação necessária para destacá-lo. Já ambientes mais claros são mais fáceis de fotografar e podem não precisar de luzes artificiais.

Fotografias contra o sol podem resultar em fotos bonitas do céu ou do pôr do sol, mas em imóveis elas vão tirar o destaque dos cômodos, que ficarão escuros em comparação. Novamente, se necessário, utilize luz artificial e ligue as luzes dos locais.

4. Ângulo

Preste atenção para fotografar o cômodo do ângulo que o favoreça mais. Locais menores precisam de mais atenção na hora de registrar a imagem. Faça testes e escolha diferentes ângulos para ver qual deles favorecem mais cada imóvel e ambiente.

Pode não ser fácil enquadrar salas ou áreas inteiras, portanto faça diversos registros se for necessário. Não tente fazer com que tudo seja visto ao mesmo tempo, pois pode desvalorizar um cômodo.

Dedique um pouco de tempo escolhendo o melhor ângulo, pois ele será muito importante para que a fotografia de seu imóvel atraia e conquiste seu cliente.

5. Composição:

A composição da foto é, literalmente, tudo aquilo que compõe a imagem. Na foto vai dizer respeito ao enquadramento, as paredes e janelas que aparecem e, no caso de imóveis mobiliados, os móveis.

Observe todos os elementos que estão aparecendo na imagem. Veja se eles estão agradáveis de olhar. Preste muita atenção para não cometer a falha de mostrar tudo em uma foto só. Antes de registrar a imagem de um cômodo revise todos os elementos que estão aparecendo e veja se é assim que você quer que o cliente conheça o seu imóvel.

6. Edição

A edição de fotos vai ser a responsável por polir suas imagens e deixá-las com um aspecto profissional.

Depois que você já tirou as fotos e escolheu aquelas que vai colocar em seu site e anúncios, chega a hora de editá-las.

Uma imagem bem-feita pode ser o fator decisivo para um cliente escolher os seus serviços. Por isso, fizemos um vídeo com algumas dicas de edição de fotos para você obter melhores resultados. Você confere a parte 1 do vídeo abaixo:

Na parte 2 do vídeo damos dicas de editores de foto amadores e profissionais para você editar suas fotos:

Fotografia imobiliária: fotos 360º

As fotos 360 são uma alternativa razoavelmente nova às tradicionais fotos. Seu uso pode dar ao cliente uma ideia ainda mais realista sobre o imóvel e proporcionar uma experiência bem mais próxima da visita, através do meio digital.

Algumas das principais vantagens da utilização de fotos 360º:

  • Oferece uma experiência de compra diferenciada;
  • Melhora sua produtividade já que não precisa tirar várias fotos e depois tratar cada uma;
  • Acrescenta valor à sua marca;
  • Oferece um componente inovador (por enquanto) ao seu negócio. Ainda que, por hora, as fotos 360º sejam um fator inovador, não é impossível imaginar um futuro onde se torne parâmetro em sites e portais.

Existe também outra forma de tour virtual onde você consegue “passear” por todo o imóvel, fazer medições e até obter plantas baixas.

De qualquer forma, com relação à tour virtual de imóveis, por mais “legal” e inovador que possa parecer, é preciso avaliar a situação do seu negócio imobiliário.

Você pode organizar pesquisas (no Google Forms, por exemplo) para descobrir como os seus clientes reagem às fotos que você posta. A partir disso, é possível mensurar a necessidade de investir em fotos 360º.

As fotos 360º podem se mostrar necessárias por outras questõe também. Como falamos em nosso ebook sobre branding, é preciso criar uma marca sólida e com uma personagem bem definida; eventualmente, na personalidade da sua marca, a foto 360º é extremamente adequada.

fotografia-imobiliaria

Fotografia de glebas, lotes e loteamentos. Qual a diferença?

Primeiro podemos falar rapidamente sobre a diferença entre estes 3 termos.

As glebas são pedaços de terreno que não estão alinhados e adequados às legislações federais ou locais. São, portanto, pedaços de terrenos “crus”, que vão exigir do comprador um trabalho burocrático “extra” antes de construir ou habitar o terreno.

Já lote é como chamamos estes pedaços de terreno quando eles já estão encaixados nas legislações adequadas e estão, certo modo, prontos para receberem construções, áreas de cuidado de animais ou até mesmo plantações.

Por fim temos os loteamentos, que possuem uma definição muito específica. Eles surgem a partir da divisão dos lotes em terrenos menores. Estes terrenos menores precisam se adequar aos tamanhos previstos pelo plano diretor da cidade. Além disso, a área dos loteamentos precisa receber ruas e precisa ter espaços públicos, entre outras exigências previstas em lei.

Os lotes e loteamentos no cenário atual

Recentemente falamos aqui em nosso blog sobre a força dos lotes e loteamentos em tempos de crise. Isso acontece porque são negócios mais baratos e com um processo burocrático mais simples do que outros imóveis.

Ainda assim, eles também precisam de cuidados com posicionamento online. Eles também precisam ser representados por fotos que atraiam e interessem os clientes em potencial.

A fotografia imobiliária aplicada em lotes e loteamentos.

Assim como em qualquer fotografia imobiliária, quando fotografando terrenos é necessário pensar em alguns detalhes que valorizem o imóvel.

A fotografia de imóveis em si já possui suas dificuldades, e precisa ser aprimorada com tempo e prática. Já a fotografia de terrenos precisa ser, além de bonita, interessante. É preciso tornar o terreno, que é um lugar comumente vazio e desinteressante, interessante.

Escolha os ângulos corretos

A escolha do ângulo da foto é muito importante. O ângulo vai interferir, e muito, na visão que as pessoas terão do terreno.

O interessante é escolher ângulos que mostram os atributos do terreno que realmente podem interessar os compradores. Por isso evite elementos que não são interessantes e que não vão interferir na experiência do comprador.

Cuide a composição

Todos os elementos que aparecem em uma foto formam a sua composição. Por isso, quando pensando nos ângulos para as fotos, leve em consideração o céu, a iluminação, o estado do terreno. Arrume, limpe e organize o que for possível.

Se o terreno possuir uma vista, tire fotos que a mostrem.

Se os fundos do terreno não forem bonitos, considere fotografar de trás para frente, ou para os lados. O importante é que toda a imagem fique bonita, e não apenas o terreno.

Mostre as características físicas do terreno

O terreno possui um declive? Ou uma elevação? Esses são detalhes do terreno que podem influenciar em futuras construções no terreno e que vão interessar os compradores (que são nosso foco na fotografia imobiliária).

Novamente, não esqueça da composição. Quando for mostrar estes elementos, pense também no fundo da imagem e nos demais elementos que vão aparecer, para que a foto fique bonita.

Mostre a vizinhança

Quando vendendo um terreno, uma boa ideia é mostrar a vizinhança. Tanto as casas como as ruas podem ajudar a mostrar qual o “clima” da região.

Mostre também parques e áreas de lazer das redondezas. Áreas de compra também podem ser mostradas. A ideia é valorizar a vizinhança, com imagens, e vender, junto com o terreno, um estilo de vida.

Invista em imagens aéreas

Imagens aéreas são uma boa maneira de mostrar o tamanho e formato do terreno. Além disso, elas também ajudam os compradores a entenderem melhor a vizinhança.

Estas fotos podem ser facilmente tiradas com a ajuda de um drone, por exemplo. Mas, se você não tiver um drone à disposição, pode usar imagens do Google Maps (se elas estiverem atualizadas).

Tire muitas fotos, destaque as melhores

Tire fotos que deem conta de todos esses elementos que conversamos. Mostre a vista, a vizinhança, as características físicas do terreno e a visão aérea. Selecione a melhor foto de cada um destes elementos e divulgue em seu site.

Contudo, é um processo comum na fotografia imobiliária ter que selecionar uma foto que será a “capa” do seu anúncio. Em alguns casos, é possível que o cliente nem sequer abra o link do terreno se a imagem inicial não for favorável.

Por isso, selecione a foto mais bonita e favorável para colocar como foto principal do anúncio online. Se o terreno possui um vista bonita, selecione uma foto que a mostre. Se ele possuir uma área arborizada bonita, mostre-a.

Coisas a se evitar

Pode parecer óbvio, mas não coloque fotos da vizinhança como fotos principais. Elas podem existir no miolo do anúncio mas nunca no início;

Um erro comum quando tirando fotos de lotes, loteamentos e terrenos no geral, é mostrar elementos demais. Você não precisa documentar toda árvore ou pedra no terreno;

Evite colocar fotos feias, por mais que mostrem partes interessantes do terreno. Se você não tem como tirar outra foto, descreva a parte interessante na descrição do anúncio. Uma foto feia pode tornar uma parte interessante em um ponto negativo na mente dos compradores que ainda não visitaram o terreno.

Fotos boas vendem mais

Lembre-se que o principal objetivo da fotografia imobiliária é vender imóveis. Se possível, invista em equipamentos adequados para deixar as fotos mais profissionais.

Se isso não for possível, use seu celular e siga estas dicas. Além disso, pesquise mais sobre fotografia em geral, em especial o que diz respeito à iluminação e composição.

Lembre-se de mostrar tudo que o imóvel é, seus atributos, sua vizinhança, vista, sem iludir os compradores. Ainda assim, invista em ângulos e composições que o valorizem.

Com fotos de qualidade você se destaca e melhora suas vendas. Então, bote a mão na massa e não fique pra trás.

[Total: 4    Média: 5/5]