Permuta de imóveis: o que é e como fazer


Tempo de Leitura: 7 minutos
Apesar de ainda ser motivo de desconfiança em alguns momentos, a permuta de imóveis é uma das formas de pagamento que tem conquistado cada vez mais espaço no mercado imobiliário.  Quando o assunto é compra e venda de propriedades, é natural que exista um cuidado minucioso com todas as ações. Isso porque estamos tratando de bens valiosos e que podem representar um investimento de anos da vida de alguém. Logo, muitas pessoas ainda hesitam em concretizar uma negociação através da permuta de imóveis, com medo de que algo possa dar errado, ou simplesmente por não conhecer todas as etapas do processo. Por isso, neste texto eu vou te explicar o que é uma permuta de imóveis, como ela funciona e de que forma você pode realizá-la de maneira segura.

O que é permuta de imóveis

A permuta é basicamente uma troca de bens de valor equivalente. Nesse caso, é a troca de imóveis que possuam o mesmo valor de venda. A troca pode ocorrer com diversos bens imobiliários, como casas, apartamentos, imóveis comerciais, terrenos, etc. Para isso, as duas partes devem chegar a um acordo com relação ao valor de cada imóvel a ser trocado. Caso o valor dos dois imóveis não seja igual, pode ser feito uma torna (explicaremos abaixo). A fim de evitar problemas durante a negociação, é essencial que o procedimento de avaliação do imóvel seja realizado por um corretor qualificado e que saiba analisar todas as características de cada propriedade. Também é possível fazer uma permuta de terrenos para construção. Na ocasião, é feito uma parceria entre o proprietário e a construtora, e desse modo, a pessoa que negociou o terreno receberá em troca unidades do empreendimento. Por exemplo, se for construído um prédio residencial, quem trocou o terreno poderá receber alguns apartamentos na permuta. Assim, poderá morar em um e alugar o restante. Se a intenção é realmente alugar, também precisará da ajuda de um(a) profissional sobre como fazer contrato de aluguel. https://www.youtube.com/watch?v=QvxQEzzpN-4&feature=youtu.be

O que é permuta de imóveis com torna

A torna é o ato de igualar o valor da permuta de imóveis através do pagamento em dinheiro. Na prática, a torna ocorre quando um dos bens envolvidos na permuta possui valor inferior ao outro. Logo, para que a troca dos imóveis possa ser feita, é preciso que a parte que vai comprar a propriedade imobiliária de maior valor pague em dinheiro a diferença. Assim, as duas podem ser trocadas com igualdade.

Como funciona a permuta de imóveis

Para quem deseja realizar uma permuta de imóveis, é necessário seguir alguns passos a fim de garantir que tudo ocorra da melhor forma, evitando imprevistos e frustrações.

Procurar um corretor de imóveis

Em geral, as transações imobiliárias, sejam de compra, locação ou até mesmo a própria permuta, não exigem obrigatoriamente a intermediação de um corretor imobiliário. Porém, como eu já citei anteriormente, a presença de um profissional capacitado é fundamental para assegurar que todas as etapas do procedimento sejam concluídas com sucesso e sem prejudicar nenhuma das partes envolvidas na negociação. No caso das permutas, o corretor pode auxiliar tanto na hora de lidar com a documentação e as burocracias envolvidas, quanto na avaliação das propriedades que podem ser incluídas no acordo.

Escolha do imóvel certo

Agora que você já sabe como funciona a permuta de imóveis e qual a importância do corretor imobiliário nesse processo, o próximo passo é a avaliação e a escolha das propriedades que serão negociadas. Se por exemplo, a intenção for realizar uma permuta de apartamentos, é necessário garimpar outros imóveis desse tipo que atendam as expectativas do comprador e que também estejam disponíveis para troca. Além disso, só após a avaliação do imóvel é possível definir se os valores das propriedades são correspondentes ou se é necessária a realização da torna. Portanto, escolher o imóvel certo pode não ser uma tarefa tão simples e rápida, pois além de atender as expectativas de ambos os clientes, as duas propriedades precisam ter valor equivalente. Para você que é um corretor imobiliário, aí vai uma dica: saiba equilibrar a opinião e vontade do cliente com as suas sugestões por experiência.

Permuta de imóveis financiados

Utilizar imóveis financiados na permuta é uma prática bem delicada, mas que também está se tornando comum no mercado imobiliário. Isso porque se uma pessoa adquiriu sua propriedade através de um financiamento Caixa, ou Santander, por exemplo, esse valor financiado é uma garantia ao banco de que o imóvel será quitado. Portanto, o primeiro passo para realizar uma permuta de imóveis financiados é encontrar uma pessoa que esteja de acordo com as condições do negócio. Isso porque ela assumirá o financiamento, tendo que pagar todas as prestações que faltam para a quitação do imóvel. Depois que as duas partes concordarem com os termos da negociação, a pessoa que assumir os pagamentos passará por uma análise de crédito na instituição credora. Isso porque é necessário garantir que ela terá condições de arcar com a dívida no futuro. Independentemente do banco escolhido para o financiamento, é importante sempre consultar a instituição financeira, pois cada uma terá um regulamento diferente para a permuta de imóveis. Todo esse processo pode parecer extremamente complicado. E honestamente? Em alguns casos pode ser sim. Mas continua sendo uma opção bem vantajosa para os que realizam. Sobretudo se o negócio for feito com a intermediação de um corretor, que como já mencionado, vai facilitar todos os trâmites da permuta. Benchmarking imobiliario

Contrato de permuta dos imóveis

Com os imóveis escolhidos e com os clientes em acordo quanto à permuta imobiliária, é hora de seguir para a parte mais burocrática. Ao contrário do que muitos podem pensar, o contrato de permuta de imóveis é bem parecido com um de compra e venda de imóveis. São necessários documentos para provar que a permuta de imóveis foi realizada de maneira legítima. Antes de assinar o contrato de troca dos imóveis, as partes precisam estar cientes sobre tudo. Pois, apesar de ser uma permuta, deverão arcar com o custo da escritura, que pode variar entre 4 a 6% do valor do imóvel. Dessa forma, o contrato de permuta de imóveis deverá ser feito através de escritura pública. Assim como nos casos de compra ou venda de propriedades. No mesmo documento, as datas de entrega dos imóveis, assim como a responsabilidade de pagar os impostos necessários também deverão ser explicitados. Caso não haja torna, as partes não precisarão pagar a taxa do Imposto de Renda.

Seja uma imobiliária completa

Como eu já te falei algumas vezes ao longo do texto, apesar de possuir alguns processos um pouco mais complexos e demorados, essa modalidade tem ganhado força como uma alternativa bem interessante aos corretores e imobiliárias que desejam aumentar o seu portfólio de serviços e consequentemente expandir sua carteira de clientes. Contudo, o importante é ressaltar que seja uma permuta de apartamentos, casas ou até de uma propriedade comercial, é essencial que ela seja realizada com seriedade e de acordo com as leis. [activecampaign form=428]

Relacionados