Topo
Regras minha casa minha vida

O que o corretor deve saber sobre Minha Casa Minha Vida

Você corretor ou consultor de imóveis deve parar para pensar que não vende só imóveis, mas também sonhos. Para muitas pessoas os valores mais baixos e a oportunidade de financiar uma casa é o que leva a procurarem projetos como o minha casa minha vida. Mas como funciona esse programa do governo?

Antes de pensar em trabalhar com o Minha Casa Minha Vida, você precisa saber que, desde sua formulação esse programa do governo já passou por diferentes mudanças. É sempre bom você dar uma olhada no site do Minha Casa Minha Vida para acompanhar todas as notícias, sobre o que pode mudar e o que já está estabelecido no programa.

Sobre o programa Minha Casa Minha Vida

O projeto foi lançado pelo Governo Federal em abril de 2009. Tinha como meta construir 1 milhão de habitações para a população com renda de até 10 salários mínimos com prioridade para quem recebia até 3 salários mínimos, na época equivalente a R$ 1.395,00. Com o passar do tempo o programa mudou, novas regras surgiram e antigas foram atualizadas.

Quatro maneiras de financiar no minha casa minha vida

  • O programa para uma parte do imóvel;
  • O programa para parte da entrada do finaciamento;
  • O programa reduz o valor do seguro cobrado em um financiamento habitacional;
  • O programa oferece taxas e juros menores, diminuindo o valor das parcelas.

Quem pode participar do programa

Pessoas da faixa 1, com ganhos de até R$ 1,8 mil, até pessoas que fazem parte da faixa 3 com ganhos até R$ 9 mil podem participar. Passando pelas faixas 1.5 com limite de 2,6 mil, e da faixa 2 com renda até 4 mil. Houveram mudanças para todas as faixas com exceção a faixa 1 que continua seguindo as mesmas regras de taxas. Além disso a pessoa interessada pode consultar no próprio site do minha casa minha vida se ele é uma possível beneficiária do programa.

Faixas e taxas

  • faixa 1 – Engloba pessoas que têm rendimento mensal de até R$ 1.800. A prestação pode ser de até R$ 270, ou seja, no máximo, 15% da renda. O prazo máximo de pagamento é de 120 meses e o imóvel pode ter valor de até R$ 98 mil reais. A taxa de financiamento é de 5% ao ano.
  • faixa 1,5– Faixa intermediária, na qual entram as pessoas que ganham até R$ 2.600 por mês. O prazo máximo de financiamento é de 30 anos. Contudo, existe a possibilidade de ter subsídio de até R$ 47.500 para facilitar a compra. Contudo, as taxas ficam variando entre 5,5% e 7% ao ano.
  • faixa 2 – Nessa faixa estão enquadrados aqueles com renda máxima de R$ 4.000 mensais. Aqui, as taxas de juros são de até 7% ao ano e o subsídio para compra é de até R$ 29 mil.
  • faixa 3 – A última faixa do programa atende pessoas com renda mensal de, no máximo, R$ 9.000. Financiando imóveis que custem até R$ 225 mil com taxas de 8,16% ao ano. Nessa faixa, não há a possibilidade de receber subsídio para a compra.
    O valor máximo do imóvel varia de acordo com o estado ou região. Dessa maneira, é importante verificar as condições na prefeitura da sua cidade ou em uma construtora de confiança.

Lembrando que os subsídios do FGTS agora foram corrigidos em 6,67% no INCC. Na faixa 1.5, sobe de R$ 45 mil para R$ 47,5 mil na faixa 2 de R$ 27,5 mil para R$ 29 mil. Já para a faixa 3 é previsto que os recursos sejam com taxas abaixo do apresentado atualmente no mercado.

Portanto, não esqueça de acompanhar sempre as mudanças feitas no Minha Casa Minha Vida. Visto que os valores costumam mudar anualmente.

Benefícios do Minha Casa Minha Vida

Após quase 10 anos, o Minha Casa Minha Vida segue firme, com mudanças que tem ajudado cada vez mais as pessoas a saírem do aluguel. Entretanto, ainda existe certa resistência dos corretores   para trabalhar com esse programa.

Contudo, como corretor você tem ótimas oportunidades ao intermediar o interesse de um comprador de imóvel no programa Minha Casa Minha Vida. Por serem imóveis com valores baixos comparados a outros do mercado, você ganha por transações. Como o número de imóveis vendidos é maior devido ao baixo valor. Significa que você ganha por número de transações feitas, fazendo com que a comissão de 6% em cima do valor do imóvel possa ser mais frequente.

O que o corretor precisa saber sobre Minha Casa Minha Vida

O corretor atua em um papel muito importante intermediando a conversa do comprador com a incorporadora. Dessa maneira, como corretor você agiliza papeladas e fecha negócios, dando oportunidade para que a incorporadora possa partir mais rápido para outro projeto e que o comprador tenha com mais facilidade o seu tão esperado imóvel.

  • A compra do imóvel pode ser feita sem entrada;
  • O FGTS pode ser usado na hora do financiamento;
  • Só a Caixa Econômica Federal é responsável pela análise dos projetos;
  • O governo federal oferece subsídios para ajudar quem tem menos condições a comprar a casa própria.
  • Famílias que possuem portadores de deficiência ou idosos têm prioridade na hora de escolher o imóvel.

Lembrando que você pode intermediar possíveis beneficiários que fazem parte da faixa 2 de salários em diante apenas.

É possível notar que o programa Minha Casa Minha Vida pode significar um aumento substancial na sua renda. Pois o número de transações neste programa pode ser maior que o das demais transações. E, ao saber todas as regras, você se torna apto a entender e ajudar este nicho de clientes do programa a realizar seus sonhos dentro de suas condições e termos impostos pela Caixa Econômica Federal.

Em síntese, conhecendo a fundo o Minha Casa Minha Vida fica muito mais fácil de você, corretor, multiplicar suas vendas e alavancar seus negócios.

[Total: 7    Média: 4.3/5]