Quanto ganha um corretor de imóveis? Tudo sobre a remuneração no ramo imobiliário


Tempo de Leitura: 7 minutos

Se você pensa em ingressar no mercado imobiliário, certamente já se perguntou quanto ganha um corretor de imóveis. Por isso, neste texto vou te explicar todas as formas de remuneração desse profissional e quais variáveis estão envolvidas na hora de definir o pagamento.

O corretor de imóveis é o profissional responsável por intermediar as negociações no setor imobiliário. Sejam elas de compra e venda, locação, permuta ou até mesmo a administração de condomínios, todas passam pelas mãos do corretor.

Além disso, outro fator que influencia em quanto ganha um corretor de imóveis é o método de trabalho. Isso porque na corretagem é possível atuar de maneira autônoma ou vinculada a alguma imobiliária.

Salário X Remuneração

Antes de falar sobre quanto ganha um corretor de imóveis é importante entendermos a diferença entre salário e remuneração. Muitas pessoas confundem estes dois conceitos na hora de avaliar o salário de um corretor, achando que eles recebem uma renda fixa mensal ou altos ganhos recorrentes.

Salário é um valor fixo mensal que alguém recebe pelo pagamento do seu trabalho (mais conhecido como modelo CLT). Já remuneração pode ser um valor qualquer, não fixo – mas podendo ser recorrente – recebido pelo pagamento do seu trabalho (mais conhecido como modelo autônomo ou freelancer).

Quais são os tipos de remuneração do corretor de imóveis?

Para contextualizar financeiramente a atividade de corretagem imobiliária, trago aqui algumas informações sobre as remunerações recebidas durante o trabalho:

Remuneração fixa:

Esta é quase uma lenda. É muito difícil o salário de corretor de imóveis ser fixo. Mesmo que haja um salário mínimo, na maioria das vezes, os corretores acabam trabalhando por comissão imobiliária.

Remuneração variável:

A remuneração variável pode se dar de 3 formas:

Corretor autônomo: em geral, o salário de um corretor de imóveis é variável, pois depende da venda ou captação de imóveis. Caso o corretor seja autônomo, o valor recebido irá variar conforme sua performance. Neste caso, ele trabalha por conta própria. Ele capta, negocia, acompanha, às vezes tendo seu próprio escritório e podendo ser parceiro de outro corretor, sem a interferência de imobiliária. Se ele faz uma parceria, a comissão é dividida.

Como autônomo, o corretor arca com todos os custos de gasolina, publicidade, papeladas, telefones, etc.

Captação: o valor recebido aqui interfere no salário de corretor de imóveis, mas é um lucro pequeno. O corretor poderá focar na captação de imóveis, fazendo somente isso ou atuando em conjunto com a venda. A regra geral é 10% de comissão sobre o valor do imóvel captado, quando o mesmo for vendido.

Parceria com imobiliária: esta é a forma mais conhecida, ocorre quando o corretor faz uma parceria com uma imobiliária. A mesma absorve os custos operacionais juntamente com uma parte da comissão. Algumas das vantagens é o fato do corretor possuir apoio na parte de marketing, no site da imobiliária, na estrutura, além de mais imóveis e uma carteira de clientes.

Como é definida a comissão do corretor de imóveis?

Como já abordamos no tópico anterior, o método de trabalho escolhido pode influenciar bastante em quanto ganha um corretor de imóveis.

O CRECI de cada estado define uma tabela de honorários que determina o valor da comissão a ser recebida pelo corretor por cada serviço realizado.

Nas operações de compra e venda a remuneração corresponde também ao tipo de imóvel negociado.

Imóveis urbanos e industriais: 6 a 8% do valor total
Imóveis rurais: 6 a 10% do valor total
Vendas judiciais: 5% do valor total

Em caso de locação, o corretor recebe o equivalente ao valor integral do primeiro aluguel. Já nas locações por temporada, a comissão imobiliária geralmente corresponde a 30% da quantia acertada na negociação.

Para administração de condomínios o percentual normalmente fica entre 5 e 10% do valor arrecadado no mês.

Atenção no acordo com a imobiliária!

Vale ressaltar que é usual alguns corretores de imóveis trabalharem em parcerias, seja com outros profissionais autônomos, ou com imobiliárias.

Logo, existem cenários onde a comissão oriunda da negociação é dividida entre corretor, imobiliária, ou até mesmo, o agenciador do imóvel.

Exemplo: É vendido um imóvel de R$200.000. E o honorário é de 6%.

R$ 200.000 / 6% = 12.000

O corretor da venda não vai ganhar esses 12.000, visto que ainda será descontado a porcentagem do agenciador/captador do imóvel, o valor que será pago para a imobiliária, e por fim, o seu valor, como corretor de vendas.

Planejamento e motivação são elementos fundamentais

Nenhum corretor consegue manter uma remuneração sustentável se não elaborar um planejamento. Em um mês você poderá vender um imóvel de 300 mil e depois passar 2 ou 3 meses sem ganhos.

Por isso, é de extrema importância manter a sua motivação. Haverá dias em que muitos ‘nãos’ serão recebidos. E você terá de lidar com questões emocionais, sabendo trabalhar sua motivação interna, para não deixar “a peteca cair”. Em outras palavras, a motivação é o que dará base para sua atuação e para uma comissão imobiliária melhor.

E essas são só algumas das características necessárias para quem deseja se tornar um corretor de sucesso e dominar o mercado imobiliário.

Quais as possibilidades de um corretor de imóveis progredir na carreira?

É importante ter em mente que o desempenho do corretor vai ser muito particular. Seja ele atuando como corretor autônomo ou como membro de uma imobiliária. O desempenho pessoal de cada profissional vai fazer muita diferença em quanto ganha um corretor e quanto ganha outro.

Se formos pensar em uma imobiliária, existem ainda outras possibilidades de crescimento.

Atuar como gerente de vendas é uma delas. Dessa forma o profissional irá gerenciar a equipe de vendas e locações de imóveis, acompanhar o trâmite das transações, e fechamento de contratos. Além de desenvolver estratégias para prospecção de clientes.

Outra alternativa é atuar como diretor comercial da imobiliária. Para isso, o corretor de imóveis vai elaborar um plano estratégico de comercialização e marketing, desenvolver e estruturas o modelo comercial da empresa. Além de participar e de colaborar com o plano estratégico da organização para médio e longo prazo da organização.

Quando ocupa um desses cargos, gerente de vendas ou diretor comercial, pode receber um salário tendo uma parte fixa e uma parte variável com base na performance das equipes que lidera. Porém, isso é uma questão a ser proposta e combinada com a imobiliária.

ebook-guia-de-fidelização

O que está mudando na remuneração dos corretores de imóveis?

Com a tecnologia e a possibilidade de realizar a venda de imóveis sem a presença de um corretor (venda direta, app, airbnb)muitos profissionais e empresas no exterior estão revendo seus modelos de remuneração.

Alguns lugares estão negociando comissões diferenciadas, escalonadas conforme o volume de vendas ou ainda valor fixo pré-determinado pelo serviço de consultoria imobiliária, e até “payback” – onde o cliente recebe um valor de volta ao vender seu imóvel.

Nesse sentido, o salário de corretor de imóveis está sendo revisto e essas novas estratégias irão chegar logo aqui no Brasil. Visto que, são formatos que estão sendo testados e devem ser avaliados caso a caso. Especialmente quando temos um sindicato forte como aqui no Brasil.

Portanto, não podemos deixar de considerar todas essas mudanças que estão chegando no mercado imobiliário. É preciso agregar valor para que o cliente veja benefícios em contratar um corretor.


Relacionados